Como gerar bons hábitos nos nossos filhos?

Quando o nosso estilo de vida e o dos nossos filhos parecem querer ir por caminhos separados, está na hora de trabalhar nos hábitos para encontrar o equilíbrio.

Foto de VisionPic .net no Pexels


Quantas vezes escutamos pais e mães reclamando dos filhos porque eles não são o suficientemente ativos, aventureiros, sustentáveis, saudáveis e amantes da natureza? Será que esses pais cultivaram todos esses valores que hoje esperam ver nos pequenos? Desde a alimentação até o estilo de férias familiares, mães e pais devem estimular e educar os filhos se querem dividir momentos de conexão e qualidade com eles.

Cada vez mais os adultos estão querendo mudar para uma vida mais saudável, gerar menos lixo, fazer mais atividades ao ar livre, trocar o “conforto” das cidades por mais natureza. Na infância esses hábitos trazem benefícios muitas vezes ignorados pelos adultos. Por citar um exemplo, crianças que têm mais contato com a natureza, têm QI mais alto, segundo um estudo. “Há cada vez mais evidências de que ambientes verdes estão associados à nossa função cognitiva, como habilidades de memória e atenção”, disse Tim Nawrot, professor de epidemiologia ambiental da Universidade Hasselt na Bélgica.

A boa notícia é que nunca é tarde para se conectar com as coisas que percebemos que nos fazem bem e fazem bem para os outros, incluindo o planeta. Trouxemos para vocês dicas para melhorar os hábitos dos nossos filhos de um jeito construtivo e efetivo.

O que não fazer:

  • Ficar bravos e dar broncas constantemente. A raiva só gera rejeição, sentimentos ruins e culpa nas crianças. Lembre: o que você quer não é destruir e sim construir!


  • Perder a paciência. Todo hábito começa um dia, mas o processo para ele ser aceito e adotado seja por uma criança como por um adulto, demora. Então não perca a paciência, se demorar mais do que você esperava, continue firme incentivando, explique a importância de fazer isso, um dia ele fará sozinho e até irá ensinar aos seus amiguinhos.


  • Achar que ele irá aprender quando adulto. Erro grave! Os bons hábitos construídos desde a infância, geram adultos muito mais saudáveis para eles mesmos e para o entorno. Você tem sim muita influência nesse futuro adulto que convive com você hoje.


O que fazer:


  • Dar o exemplo. Parece uma dica óbvia, sim, mas quantos adultos já vimos reclamando dos filhos quando eles não são mais do que a cópia miniatura da mãe/pai? É difícil ser autocrítico às vezes, mas é preciso policiar os nossos hábitos se queremos corrigir os deles. A presidente da Associação Brasileira de Psicopedagogia, Quézia Bombonatto, explica: "Criança imita o que vê. Então, se ela vê o pai falando ‘obrigado’, essa ação tem eco na atitude do pequeno", explica. "Tudo é imitado, desde higiene até o chegar no horário".


  • Brincar. Tudo o que vier de uma brincadeira, será muito mais aceito por uma criança. Ele não come legumes? Que tal criar uma horta juntos? Ele não gosta de caminhar? Coloque objetivos como ir caminhando até sorveteria que gosta, faça trilhas curtas na natureza descobrindo plantinhas e bichinhos no caminho, tente manter a criança curiosa para que não fique entediada, faça ele/a tirar fotos da experiência.


  • Criar lembranças boas. Para as crianças as lembranças podem ser mágicas, porque elas têm uma imaginação muito fértil e as boas lembranças fazem com que elas queiram sentir de novo aquilo. Cuidado! Porque se a lembrança for ruim, será mais difícil que ela queira dar mais uma chance.

  • Repetir e cuidar. Hábito é sinônimo de repetição. Nenhuma atitude se cria num dia ou numa semana, seja ela boa ou ruim. Tudo aquilo que fazemos todos os dias, acaba se tornando hábito e uma vez fixado, é difícil tirar. Achar que a nossa filha ou filho que fica no celular todos os dias aceitará facilmente um dia ficar sem ele, é um erro. Então é tão importante cultivar atitudes positivas como detectar as prejudiciais e tentar reverter oferecendo substitutos atraentes e melhores.


Quando sentir que o estilo de vida que você e seu filha/o querem levar estão se afastando, não culpe o celular ou as novas gerações, fique por perto dele, se envolva e seja criativo/a!

Afinal ser pai/mãe não é uma tarefa fácil, mas você tem o privilégio de influenciar as futuras gerações para conseguirmos viver num mundo melhor.


Escrito por,

Equipe Impacto


Referências:


https://vilamulher.com.br/

https://www.ecycle.com.br/


20 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo