Marcas passam a neutralizar suas emissões de CO2

A neutralização de carbono é um assunto que vem crescendo nos últimos anos, e com isso podemos notar o aumento do número de marcas que se preocupam com esse fator.


O gás carbônico é um dos Gases de Efeito Estufa (GEE) e, basicamente, todas as atividades que fazemos emitem CO2. Ao falar-se de neutralização de carbono, é válido ressaltar que esse é apenas um dos elementos que existem na natureza que promove o efeito estufa. Existem também outros GEE emitidos em nossas atividades diárias, como o gás metano (CH4), PFCs e óxido nitroso (N20). Então, para que seja possível medir o impacto causado pelas atividades e empresas, converte-se todos esses gases, baseado no potencial de geração de efeito estufa em comparação ao CO2, e então calcula-se o gás carbônico equivalente.


É comum associarmos os GEE apenas às chaminés de grandes indústrias, mas até a energia elétrica que é consumida em sua empresa, por exemplo, foi produzida e chegou até você por processos que emitem muitos desses gases. Ao andar de carro, usar energia elétrica, gerar resíduos ou utilizar qualquer tipo de recurso natural, emite-se CO2 na atmosfera. Então, todos são responsáveis pela emissão de carbono na atmosfera.


Mas e a moda? De acordo com o relatório Measuring Fashion: Environmental Impact of the Global Apparel and Footwear Industries Study atribuiu à indústria da moda por volta de 8% de todos os gases de efeito estufa. O relatório Pulse of the fashion Industry, feito pela Global Fashion Agenda (GFA), colocou a moda (em 2015) como responsável por 05% das emissões de CO2 - porcentagem 21 vezes maior do que os setores de aviação e navegação juntos, resultando em 1.2 bilhões de toneladas de gás carbônico


Levando em conta o aumento da produção estimada para o ano de 2030, GFA informa que a contribuição da moda para o colapso climático deve aumentar em 63%. Com o cenário atual somado a essas previsões, toda a indústria (não só a da moda) deve se responsabilizar a fim de não ultrapassar o teto de 1.5ºC estimado no Acordo de Paris. Para não passar desse limite, as emissões globais deveriam ser reduzidas em 45% até 2030 e zerar até 2050


Com dados como esses disponíveis para todos nós, a mudança pode - e deve ser feita. No cenário da moda, vemos o aumento de marcas que colocaram em suas agendas a medição e neutralização de suas emissões de CO2.


Em 2011, a Puma foi pioneira ao implementar o EP&L (The Environmental Profit & Lost / Lucros e Perdas Ambientais), medindo as emissões de carbono, o consumo de água, a poluição do ar e da água, o uso da terra e a produção de resíduos e, então, uma declaração de lucros e perdas ambientais resume o custo em relação a esses impactos causados.


No mercado de luxo, a Gucci anunciou que está a caminho de ser carbon neutral, ao compensar todas as emissões de GEE das suas próprias operações e de toda sua cadeia de suprimentos. A ação está sendo feito através de apoio a projetos de conservação florestal nos países em desenvolvimentos por meio da iniciativa REDD+ (Reduzir as Emissões do Desmatamento e da Degradação Florestal, desenvolvida pela Convenção Quadro das Nações Unidas sobre Mudança do Clima - UNFCCC)


Nacionalmente, nós da Impacto Activewear Sustentável trabalhamos em parceria com a Creast Network. A Creast, empresa sediada em Londres, fornece ferramentas inovadoras para tornar as campanhas publicitárias 100% sustentáveis enquanto se economiza tempo e custos.


O objetivo deles, seguindo o protocolo das Nações Unidas, entidade com a qual colaboram, é medir, compensar e assessorar para reduzir progressivamente as emissões de carbono, incorporando seus clientes ao programa das Nações Unidas Climate Neutral Now. Como? Com uma árvore nativa, plantada no Amazonas, que levará o nosso nome e da qual teremos fotos e coordenadas pelos próximos 3 anos, para monitorar seu crescimento. Ela terá uma longa vida de aproximadamente 20 anos na qual tirará da atmosfera 1 tonelada de CO2.


Na indústria da beleza vemos a Simple Organic que desenvolveu um plano de neutralização de carbono para toda a logística na sua cadeia de produção. Isso quer dizer que “toda a emissão de gases será compensada através de atitudes ambientais promovidas por nós. Ou seja, para cada quantidade de gás emitida, uma mesma quantidade de árvores será plantada a fim de neutralizar a poluição gerada.” - explicam em seu site.


É necessário que cada um se responsabilize em fazer sua parte.


Por,

Equipe Impacto.


Fontes:

https://www.modefica.com.br/moda-mudancas-climaticas/#.YOeDGxNKjBI

https://www.ecycle.com.br/neutralizacao-de-carbono/


2 visualizações0 comentário