Moda: Gênero e Sexualidade

Em pleno século XXI, por que homem vestindo roupas tidas como femininas ainda é tão polêmico?


Não faz muito tempo, no reality show Big Brother Brasil, neste ano, surgiu uma discussão quando Rodolffo, questionou em tom de zombaria os vestidos e túnicas que o participante Fiuk usava em diferentes situações e, Rodolffo ainda indagou se ele seria "bem vindo" à uma festa em Goiás se vestido daquele jeito.


Grandes marcas como Ludovic de Saint-Sernin, Palomo Spain e até Burberry tem trazidos saias em suas coleções masculinas e, junto com isso, diversas figuras públicas como Lil Nas X, Jaden Smith, Kanye West e Billy Porter estão à frente dessa reapropriação desses códigos de gênero dentro da moda. Mas, com marcas e personalidades tão relevantes, por que, ainda hoje, um homem vestindo tais peças causa tanta controvérsia?


Isto acontece, porque tal ação toca diretamente no entendimento social de masculinidade - uma noção ainda bastante frágil. Não é de hoje que vemos cada vez mais abordagens sobre masculinidade tóxica e como os homens são ensinados ao longo da vida o que devem fazer ou não a fim de preservar sua masculinidade e virilidade, o que são ensinamentos pautados, essencialmente, na misoginia e no machismo. Então, fica mais claro entender o motivo de uma simples peça de roupas carregar tamanho valor social a ponto de ameaçar as estruturas da masculinidade pelo simples fato de estar associado ao feminino - uma vez que a masculinidade tóxica o, basicamente, condena em um homem.


A noção de que - mesmo sem uma conexão intrínseca - entre roupas, sexualidade e gênero é essencialmente colonialista proveniente de uma sociedade patriarcal moderna. Um exemplo claro: os saltos altos surgiram inicialmente como um artigo de distinção social usados por homens da nobreza francesa, ou seja, a construção em torno do salto enquanto feminino é social e não, de fato, ligado ao feminino.


As roupas podem sim estar, de alguma forma, conectadas ao gênero, mas isso quando ligada a uma série de fatores como o contexto social e histórico específico, mas, definitivamente não diz respeito a um homem usando saia, vestido ou salto. Por mais que a moda ou a maquiagem possam, de alguma forma, ser usadas por alguns grupos sociais como forma de reforçar uma identidade ou para romper estereótipos, isso diz respeito a uma situação específica: um conjunto de fatores e apetrechos usados em um determinado contexto histórico e social com o objetivo de passar uma mensagem e validar um reconhecimento social.


Separar esses movimentos e manifestações sociais através da moda é muito importante. Uma personalidade pode querer romper estereótipos de gênero dentro da da moda com movimentos estéticos e também político-sociais, mas que não tem correlação alguma com seu gênero ou sexualidade. Esse é caso de coleções que apresentam peças "femininas" como um movimento estético e um posicionamento, mas que não dizem sobre a pessoa que as usa, uma vez que a roupa irá adquirir sentido a partir da apropriação de quem as usa.



Escrito por,

Equipe Impacto


Fontes:

https://ffw.uol.com.br/noticias/moda/homens-de-saia-o-que-a-moda-pode-nos-dizer-sobre-genero-e-sexualidade/


3 visualizações0 comentário