Qual tecido de origem natural é o mais sustentável?

Na busca de hábitos de consumo sustentáveis e/ou ecológicos, surgem muitas dúvidas sobre quais são os melhores tecidos. Aqui, um guia rápido para conhecer um pouco mais sobre as fibras naturais presentes no seu guarda-roupas.



Antes de mais nada, precisamos entender que a sustentabilidade de um material se mede levando em conta não só o impacto ambiental, mas também o econômico, cultural e social. Não é sempre que um material sustentável abraçará de maneira igual esses 4 quesitos. Por conta disso, é importante uma análise profunda para termos uma visão completa de cada situação antes de comprar.


Tecidos aparentemente inofensivos de origem vegetal, como o algodão, impactam diretamente na vida de animais e pessoas. Para produzir algodão é preciso desmatar grandes áreas, afetando a vida dos animais que habitam as terras; usar milhões de litros de água, recurso precioso e escasso em muitas regiões do planeta; e, se o cultivo não é orgânico, é preciso usar muitos pesticidas que prejudicam a vida dos trabalhadores da terra, dos solos e de todos nós.


A melhor maneira para entender o impacto das nossas escolhas é, primeiro, não sermos radicais, pois isso pode nos levar a tomar decisões que vão contra o que desejávamos inicialmente. E segundo, esquecer o que sempre nos foi falado e pesquisar. É importante tentar entender, para tomar nossas próprias decisões de acordo com a região que vivemos, nossa cultura e nossos princípios.


Um produto ecológico, porém que viaja milhares de quilômetros para chegar nas nossas mãos, pode perder completamente essa sua característica, enquanto, para as pessoas que vivem perto de sua produção, se mantém ecológico. Por isso é importante estudar, entender e decidir, nessa ordem.


Veja no quadro abaixo um resumo das principais fibras naturais usadas na indústria do vestuário e seus prós e contras:



Tingimento, o grande vilão.


O tingimento é o processo que mais contamina na cadeia produtiva têxtil. No tingimento convencional são usados corantes sintéticos, sais, álcalis, metais pesados e substâncias químicas para fixar as cores nas roupas. Essas são substâncias altamente tóxicas.


O certo é tratar a água para decantar e filtrar esses químicos e metais antes de devolvê-la à rede. Mas, em muitos países que carecem de regulamentação ou mesmo em países onde é muito comum burlar as leis ambientais, isto não acontece e, como consequência, milhões de litros de água são contaminados, gerando grandes estragos à saúde das comunidades, animais e plantas.


Hoje existem produtos químicos, corantes e auxiliares do processo de tingimentos que são considerados ecológicos. Mesmo assim uma excelente opção é optar por peças feitas com tingimento natural, onde se usa folhas, casca de árvores e frutos para sua realização, dando a peça um acabamento único, vivo e realmente ecológico.



Respondendo a pergunta inicial, não é simples definir qual é o tecido natural mais sustentável. Todos os tecidos geram um impacto no planeta e não existe o "impacto zero". Porém, podemos interpretar que, dentro das opções que temos no Brasil, o algodão orgânico tingido naturalmente seria o tecido de origem natural com menor impacto negativo.


Investigando e desmistificando, nos tornamos consumidores conscientes e responsáveis por transformar a indústria da moda em uma indústria mais limpa.




Fontes:

https://www.modefica.com.br/

https://www.pensamentoverde.com.br/

https://www.fashionbubbles.com/

https://roupartilhei.com.br/

https://www.mindbodygreen.com/

https://br.fashionnetwork.com/

https://goodonyou.eco/

Fashion and Sustainability online course - London College of Fashion.





32 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo